GRÁTIS LIVRO MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM

Total de visualizações de página

CIDADE ALERTA

Você é a favor da pena de morte?
Sim
Não

Pessoas Online

Arquivos

Meus Vídeos

Loading...

Seguidores

TV NBR AO VIVO

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

TERRA DE NINGUÉM: PAULO AFONSO NA BAHIA IMPERA A DESORDEM !

A POLÍCIA FEDERAL, O SECRETÁRIO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DA BAHIA PRECISAM URGENTEMENTE ADOTAR PROVIDENCIAS NA CIDADE DE PAULO AFONSO NA BAHIA.
A CIDADE ESTÁ EM PLENA DESORDEM PÚBLICA, COM PESSOAS SENDO ASSASSINADAS NO MEIO DA RUA, PERSEGUIDAS E MORTAS POR MOTOQUEIROS À LUZ DO DIA E CASAS SENDO INCENDIADAS COMO  FORMA DE GARANTIR A JUSTIÇA COM AS PRÓPRIAS MÃOS. E PIOR: É QUE MUITA GENTE ACHA ISSO NORMAL.
EXISTEM MANDANTES ENVOLVIDOS E QUE MUITOS COMENTAM A BOCA MIÚDA SABENDO QUEM SÃO; PESSOAS QUE DEVERIAM DEFENDER A SOCIEDADE RECEBENDO PARA FAZER SEGURANÇA DE QUEM POSSIVELMENTE É BANDIDO.
ESTÁ ANUNCIADA PARA BREVE UMA GUERRA, ONDE A FAMÍLIA DE UM TRAFICANTE ESTARIA SAINDO DO RIO DE JANEIRO PARA RETALIAR O MANDANTE DE UM ASSASSINADO DE VULGO  "CUÍCA".
AS PESSOAS ESTÃO ASSUSTADAS E SE SENTEM INDEFESAS.

Suspeito de assalto a supermercado tem casa incendiada durante a madrugada no BTN

Redação
Mohab Gomes (Repórter Policial)


Crédito: www.ozildoalves.com.br

Na madrugada deste sábado (27) para domingo (28) uma residência foi incendiada na Rua São Carlos, no BTN 3. Na casa morava um elemento de pré nome ‘Valdo’ que é o principal suspeito de ter assaltado o Supermercado Oliveira em meados deste ano no BTN 2.
Segundo vizinhos, por volta das 2h da madrugada, três elementos estavam na casa de Valdo que fica nos fundos da residência de seu pai, um popular conhecido como ‘Zé Negão’. Acredita -se que os homens tenham ido em busca de ‘Valdo’ que já era foragido da polícia, como não o encontraram, em represália, atearam fogo na residência e saíram do local.
Por sorte ninguém ficou ferido bem como não se sabe ao certo a identidade dos três elementos e consequentemente a autoria do fato.
Leia mais

O QUE SÃO OS JUÍZES E O QUE É A MAGISTRATURA NO BRASIL?

Gestão e Justiça

Por Fernando da Fonseca Gajardoni São Paulo


Diversos meios de comunicação noticiaram nos últimos dias a história de Maria Ribeiro da Silva Tavares.Filha de um fazendeiro de Pelotas (RS), ela teria gastado toda a herança de viúva para levar presos de alta periculosidade para viver consigo, ao lado do filho pequeno. Em 1936, aos 24 anos, convenceu a direção do Presídio Central de Porto Alegre, onde já era voluntária, a dar abrigo a 36 presos em sua casa. Até a sua morte, aos 102 anos, morou no local onde 63 homens cumpriram pena em regime semiaberto. E um importante detalhe: no fim de sua vida, foram os presos – por ela alcunhados de “anjos” –, que cuidaram dela.Poucos dias antes o portal IG havia divulgado interessante entrevista com o pesquisador Fernando Fontainha, da FGV Rio. De acordo com ele, os concursos públicos no Brasil servem para selecionar os que mais se prepararam para as provas (principalmente as objetivas), e não os mais competentes. Isso refletiria na qualidade dos serviços públicos e na própria igualdade de oportunidades, já que, de ordinário, são aprovados nos concursos aqueles que têm melhores condições econômicas para não trabalhar enquanto estudam para as provas, e não aqueles mais preparados e vocacionados ao exercício da função pública. Sugere o entrevistado, para minimizar essa anomalia, que métodos como provas práticas ou requisitos de experiência prévia sejam considerados na seleção.Essas duas notícias, que aparentemente quase nada possuem em comum, permitem importante reflexão sobre o método de seleção de magistrados no Brasil. Guardadas as devidas proporções, ainda seria possível encontrar, com a metodologia de seleção em vigor, juízes que possam dedicar uma vida, tal qual a da vocacionada assistente social Maria Ribeiro de Souza Tavares, à causa da Justiça? Em outros termos, a vocação para o ofício, o tino para a judicatura, ainda tem algum relevo na hora de se decidir entre alguém que, simplesmente, busca um emprego (um bem), e outro que tenha condições e disposição para servir ao público e à sociedade?Para responder a esta indagação, convém destacar que a Resolução CNJ n. 75/2009 – que dispõe sobre os concursos públicos para ingresso na carreira da magistratura em todos os ramos do Poder Judiciário nacional – estabelece ser o certame composto de 04 etapas, todas baseadas em conhecimentos estritamente técnico-jurídicos: a) prova objetiva (testes de múltipla escolha); b) duas provas escritas (incluindo prática de sentença cível e criminal); c) prova oral gravada (com prévio sorteio de pontos); e d) prova de títulos. Na busca de critérios de seleção estritamente objetivos e, consequentemente, de evitar favorecimentos pessoais, a Resolução veda qualquer incursão, pela banca examinadora, no perfil pessoal do candidato para o cargo de magistrado, ainda que permita alguma avaliação técnico-jurídica (e não concreta) sobre conhecimentos de humanística (conteúdo das provas escrita e oral).Recordo-me que quando ingressei nos quadros do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (1998), citada Resolução não estava em vigor. Na ocasião, logo após na prova oral, fui sabatinado pela banca examinadora sobre aspectos relacionados à minha vida pessoal e experiência profissional; sobre meus projetos futuros de vida; sobre minha disposição para o trabalho e estudo, para iniciar a carreira longe da família e dos amigos; sobre o conhecimento que tinha da realidade do Poder Judiciário e das mazelas da sociedade brasileira de então. Por evidente, buscava a banca informações que pudessem subsidiar a decisão sobre minha vocação para o exercício da magistratura, algo que as demais etapas estritamente técnico-jurídicas do certame não eram capazes de revelar.Talvez a Resolução CNJ 75/2009 entregue à sociedade juízes capazes de aplicar adequadamente o Direito aos conflitos. E isso não só é bom, como necessário. Mas ela, de ordinário, não garante que os juízes selecionados saibam lidar com o jurisdicionado, com os advogados e membros do Ministério Público, com as aspirações, decepções e preocupações de todos eles; que saibam gerir processos e unidades judiciais (inclusive os recursos pessoais e de informática), tirando delas a maior produtividade possível; que sejam capazes de inovar e reverter o quadro desolador, revelado pelo Relatório Justiça em Números 2014, do Conselho Nacional de Justiça, de que o Judiciário Brasileiro atingiu o ápice da produtividade, pese a tendência de continuidade no aumento da demanda.Não que o ser juiz represente um sacerdócio, uma das muitas bobagens que se escreveu (e ainda se escreve) ao longo dos anos, e que faz alimentar a mente já deturpada de alguns. Juiz não tem nada de Santo e, exatamente para aplicar a Justiça dos homens (e não a Dele), espera-se que ele seja dotado de uma enorme carga de humanidade para compreender e lidar com o seu semelhante, com todos os defeitos e qualidades ínsitas dessa condição. Provas puramente técnico-objetivas não são capazes de garantir que magistrados gostem e sejam especialistas em gente; que sejam vocacionados ao adequado exercício da Jurisdição.Por isso, o debate sobre a forma de seleção dos magistrados que queremos para o Brasil é de todos. Debate que não pode se circunscrever ao estrito espectro do Conselho Nacional de Justiça ou da Magistratura. Debate que não pode ter foco exclusivo, como acontece hoje, no método de seleção de Ministros para o Supremo Tribunal Federal, sem referência à base. Debate que passa pela composição das bancas examinadoras dos concursos para a magistratura, pela forma como realizadas as provas, pelo papel que deveriam ter as Escolas da Magistratura na seleção e aperfeiçoamento dos juízes. Enfim, debate que deve levar à definição do que é o Poder Judiciário que queremos e de quem devem ser aqueles que integram seus quadros.
 
*Fernando da Fonseca Gajardoni. Doutor e Mestre em Direito Processual pela Faculdade de Direito da USP (FD-USP). Professor Doutor de Direito Processual da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto da USP (FDRP-USP). Juiz de Direito no Estado de São Paulo.
 
Leia mais

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

EM 2014 ACM NETO JÁ RECEBEU DO GOVERNO FEDERAL QUASE DOIS BILHÕES DE REAIS

EM MENOS DE UM ANO, ACM NETO NÃO TEM O QUE RECLAMAR SOBRE O DINHEIRO DO GOVERNO FEDERAL
RESTA SABER O QUE ESTA SENDO FEITO!



Para quem tinha interesse em fazer uma administração sem conflito com o governador, ACM NETO não teria o que se preocupar, pois até a presente data não tem faltado verba para a prefeitura de Salvador; e é dessa forma que o governo federal acredita que deve ser feito, sem dificultar a vida dos gestores, repassa as verbas as quais são destinadas aos municípios. Situação essa que não experimentou a ex prefeita lídice da Mata, quando o ACM  avô, dificultou de todas as formas a gestão daquela época, deixando Salvador no caos absoluto, tática usada pelo antigo PFl, hoje atual DEM.
Diferentemente  , o atual governo; quer seja estadual ; quer seja federal, não dificulta a vida do gestor público. Porém nem todos fazem com o dinheiro recebido o que de fato deveria ser feito e, para isso a sociedade precisa aprender a fiscalizar, exercendo sua cidadania plena. Cobrando e acompanhando os gastos, tais como roda gigante, pipoca e passeios de bicicleta; enquanto postos de saúde municipal caem pelas tabelas.
Na dúvida consulta-se o portal transparência e se sabe quanto a prefeitura de Salvador recebeu até o presente momento. Veja lá:



Como podem perceber, DOIS BILHÕES de reais é muito dinheiro e presume-se que "Netinho" deveria melhorar mais os serviços públicos prestados e a qualidade da gestão na prefeitura municipal de Salvador.

Olha lá, caro Netinho....Salvador, tem dinheiro, chega de impostos, tributos, taxas e emolumentos....quanto aumento rapaz!
Leia mais

SEM A POSSIBILIDADE DE REELEIÇÃO PAULO MALUF TEME SER CAPTURADO PELA CIA E PRESO NOS EUA

COM MANDADO DE PRISÃO INTERNACIONAL EXPEDIDO PELA JUSTIÇA NORTE AMERICANA, PAULO MALUF COLOCA AS BARBAS DE MOLHO.





Paulo Maluf é uma das figuras mais procuradas pela justiça americana, com ordem de prisão expedida, pode vir a ser capturado pelo FBI ,INTERPOL ou CIA.

Temeroso, pela decisão do TSE a velha raposa agora coaxa de cócoras preocupado com a terra de segue, onde quem tem olho sempre será rei. Mal acostumado, com respostas cínicas de bolso, agora se dizendo injustiçado tanto quanto o próprio Jesus Cristo, é possível alegar que também é capaz de fazer milagres.

O fato é que Paulo Maluf é acusado de ser um dos maiores corruptos do Brasil e acobertava-se sempre na política. Com a mudança dos ventos, a cobertura voo e o mesmo agora, está sentindo o frio na espinha da falta do cobertor. Sem a imunidade política, torna-se um cidadão comum... e o cinismo que sempre lhe fora peculiar pode agora ruir e coloca-lo de joelhos para a Corte Americana, local onde o sistema funciona e 'peixe grande" vai pra cadeia.

Um dia senhores corruptos, a casa cai; ou o povo acorda e começa a fazer justiça com as próprias mãos; pois pior que ladrão de galinha, é ver um coronel, um deputado, um senador, um ministro envolvido em falcatruas que lesam o erário e permanecem impune, enquanto o povo passa fome.

O Brasil terá a oportunidade de ver ainda o Senhor Paulo Maluf na cadeia???


Leia mais

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

O DEM FAZENDO PROPAGANDA PARA LUDIBRIAR O POVO, ESCONDE QUE SALVADOR ESTÁ UM LIXO E AMBULANCIAS SUCATEADAS

SALVADOR  ESTÁ UM LIXO E AINDA TEM AMBULÂNCIAS ABANDONADAS E SUCATEADAS  ESCONDIDAS PARA O POVO NÃO SABER....
ISSO QUE É ADMINISTRAÇÃO NETINHO???



O programa "Balanço Geral" de hoje  25/09, mostrou com o repórter Guilherme Santos, o descaso da prefeitura com o lixo no bairro da Baixa de Quintas e um prédio público cheio de lixo ,com ambulâncias sucateadas. Esse é o governo que se diz preocupado com o povo e que sabe fazer belas obras nos bairros ricos para "inglês ver"...Com roda gigante compra os pobres e ainda faz praça no subúrbio ao lado da  famosa Base Naval de Aratú, para vender uma imagem mítica de um ídolo nanico.





Leia mais

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

PAULO SOUTO DESAFIOU E ACABOU SENDO DESMASCARADO....CARA DE PAU?!


Documentos desmentem Paulo Souto e provam que governo do democrata fez pagamentos ao Instituto Brasil

24/09/2014


Documentos desmentem Paulo Souto e provam que governo do democrata fez pagamentos ao Instituto Brasil E o escândalo do Instituto Brasil chegou a Paulo Souto, candidato do Democratas ao governo do estado. No mesmo dia em que disse ao site Bocão News que desafiaria qualquer um a encontrar pagamentos do seu mandato como governador -- entre 2002 e 2006 -- para a ONG ligada a um esquema de desvio de dinheiro, o Grupo Metrópole teve acesso a relatórios de um convênio datado de 2005 do estado com a entidade.

Portanto, isso aconteceu quando Souto era o governador do estado.

Em 8 de abril de 2005, durante o penúltimo ano do governo do democrata, foi celebrado o contrato de convênio 1581 com o Instituto Brasil no valor empenhado de R$ 147.580,37. Em 15 de junho do mesmo ano, foram pagos R$ 69.648,75 à ONG.

O Grupo Metrópole conseguiu também o contrato 3827, que pagou R$ 30.880,12 em dezembro de 2005 à Organização, investigada pelo Ministério Público há quatro anos.

E agora?


Documentos provam que relação do Instituto Brasil com o governo começou com Paulo Souto
Leia mais

terça-feira, 23 de setembro de 2014

CRÔNICAS DE BROGODÓ CITY: CAUSOS DE PEDOFILIA

BROGODÓ CITY FAZ SUCESSO
AGORA É PEDOFILIA...



Que um bispo local de Brogodó teria se envolvido com menores, vendido mais de 100 terrenos na cidade e pretende expropriar antigos moradores de suas residências; isso já se sabia.

Agora, chegam à essa redação fotos, dando conta de um personagem inusitado. Um pato, sem camisa, no bar de um mercado; aos beijos e abraços com uma menor. Foto essa tirada do Sr. Patinho quando ele não tinha tanta projeção, em 2010 mais ou menos. Fotos nítidas. Diante desse novo acontecimento, colocamos olheiros 24 horas, na cola do Sr. Pato ,um velho, descabelado, ridículo que pelo jeito gosta de uma farrinha com menininhas.A cidade não tem conserto mesmo, é corrupção de padres, autoridades e recentemente teve uma figura de projeção nacional envolvido em escândalo com doleiro de petrolífera. O famigerado bisbo, tem linha de frente de padres pedófilos, dos quais um ou outro teria engravidado uma menor e determinado o aborto, resultado de sua paternidade. Ao que tudo indica, o sacripanta do Bispo estaria de malas prontas para deixar a cidade brogodense após as denuncias feitas e comprovadas. Claro que um tanto quanto mais rico que dantes, quando arrastava a "cachorrinha".
O pato caiu de boca, digo, de bico, na menininha...e estava ali, no bar, à vontade, com a menor no colo, aos beijos e carícias. Nossos informantes, estão de olho. 
Estamos de olho em voce pato!!!!
 

Leia mais

domingo, 21 de setembro de 2014

JUIZ É CONDENADO PELO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA BAHIA


Juiz é condenado por ficar com dinheiro de fiança; pena é aposentadoria compulsória

por Cláudia Cardozo
Juiz é condenado por ficar com dinheiro de fiança; pena é aposentadoria compulsória
Juiz Sérgio Rocha Pinheiro Heathrow foi condenado por peculato
O juiz Sérgio Rocha Pinheiro Heathrow foi condenado à aposentadoria compulsória pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) por peculato – crime de desvio de dinheiro público. A decisão de aposentar o magistrado foi tomada pelo Tribunal Pleno nesta quarta-feira (17). De acordo com a relatora do processo administrativo disciplinar, desembargadora Heloísa Pinto de Freitas, o juiz é alvo de diversos processos administrativos e já estava afastado das atividades, por ter sido condenado anteriormente pelo tribunal à disponibilidade. O juiz foi condenado por ter se apropriado dos valores de duas fianças afixadas em dois processos que tramitavam na Vara Criminal de Camacã, no sul da Bahia. Os valores das fianças eram de R$ 1.085 e R$ 3.400. Segundo os autos, o juiz era substituto na comarca, e deferiu duas liberdades provisórias mediante pagamento de fiança.

O advogado do juiz, João Daniel Jacobina, afirmou que ele ficou com a importância por “não saber como proceder com o valor pago” e pediu orientação do que fazer a um servidor experiente da comarca de Ilhéus, em que já havia trabalhado. Isso teria sido feito, já que nenhum servidor queria ficar responsável pela quantia. A orientação foi solicitada, segundo o advogado, na frente de uma servidora da unidade judicial. A orientação, conforme o defensor, deveria ser de oficiar um banco para abrir uma conta para depositar o valor e aguardar o resultado do processo. Jacobina diz que o processado não entendeu a orientação e transferiu a ligação para uma servidora e que ela teria entendido como proceder. “O magistrado, inexperiente, teve o cuidado de ligar para pedir orientação. Mas o fato é que o dinheiro sumiu”.

Tempo depois, o juiz saiu da comarca, quando o TJ abriu processo de promoção/ remoção. A defesa do magistrado afirma que, logo que ele saiu de Camacã, teve notícia do desaparecimento da quantia, e entrou em “pavor”, porque, na condição de magistrado, seria responsável pela situação. Diante disso, ele ligou para comarca, e para “não prejudicar ninguém, para que se resolvesse a situação, sem assumir qualquer tipo de culpa, restituiu o dinheiro”. De acordo com o relato da desembargadora, “os testemunhos coerentes e harmônicos prestados pelos servidores daquele juízo conduzem à conclusão de que o próprio processado recebeu tais quantias e liberou os alvarás de soltura, sem ter adotado qualquer providência posterior no sentido de recolhê-las em conta judicial, retendo-as indevidamente em seu próprio proveito. Evidenciam, ademais, que o processado, instado por várias vezes pela servidora do Cartório a regularizar tal situação, sempre prometeu que devolveria as fianças pagas, sem ter cumprido tais compromissos”.

Uma servidora, testemunha do caso, afirma que o cartório recebeu o dinheiro da fiança, e que o valor teria ficado dentro de um envelope grampeado e certificado nos autos, e que “nunca recebeu dinheiro de fiança em cartório". A servidora teria começado a cobrar o juiz sobre o valor quando ele começou a falar de promoção. Ela pedia a ele o dinheiro, e ele dizia que ia devolver. A testemunha ainda diz que “não havia dinheiro nos processos e nem comprovante de depósito”. Ela tinha receio de que ele não devolvesse a importância. Certa vez, nessas cobranças, depois que saiu a promoção, ela diz que Sérgio a ligou “dizendo que ia mandar o dinheiro por alguém, para dizer que esse dinheiro estava em um envelope e simular que tinha achado dentro do cartório, porque senão ia quebrar para o cartório”. A mesma versão foi apresentada por outras testemunhas. O advogado de Sérgio afirmou que não houve apropriação da verba, e que ele preferiu “sofrer este dano, a parecer que ele, ou qualquer servidor, tivesse sumido com o dinheiro”. A relatora do caso afirma que a quantia só foi devolvida quando uma sindicância foi instaurada para apurar o fato. A ligação do magistrado foi gravada por uma servidora. João Daniel Jacobina afirma que a servidora ameaçou o juiz para que desse conta do dinheiro, e que o áudio, conforme a perícia, teria sido manipulado, e por isso, não poderia ser considerado como prova. O advogado pediu que, caso o juiz fosse condenado, que fosse por negligencia na gestão cartorária. O Pleno decidiu pela aposentadoria por unanimidade, com vencimento proporcional ao tempo de serviço.
 
Leia mais

" O BOLSA FAMILIA VAI ACABAR"


Dilma: Bolsa Família vai acabar se 'eles' forem eleitos

Ana Fernandes e Pedro Venceslau


  • Ueslei Marcelino | Ag. Reuters
    Dilma também falou sobre educação infantil e acesso a creches
A presidente Dilma Rousseff disse neste sábado, 20, em comício na zona sul de São Paulo, que o programa Bolsa Família vai acabar se seus adversários forem eleitos. "Faltam poucos dias para a eleição e, neste momento, o clima fica um pouco quente e nós sabemos que começa uma série de mentiras e boatos falsos por aí", disse a presidente no palanque. "Tem uns que dizem que o Bolsa Família, nosso programa mais importante, o programa que nós consideramos o mais forte para reduzir pobreza e desigualdade, junto com emprego e aumento de salário, vai acabar. Vai acabar se eles forem eleitos", afirmou a presidente candidata à reeleição.

Ao fim do discurso, Dilma retomou o tema ao dizer que os brasileiros obtiveram conquistas nos últimos anos que devem ser defendidas e afirmou que, enquanto presidente, irá continuar a defender o salário e o emprego. "A grande verdade é que estamos convivendo com a primeira geração que não passou fome, com acesso a educação, e não deixaremos isso ser perdido. Conquista que a gente teve é conquista que a gente defende."

Em programas de TV, a campanha petista tem colocado mensagens indicando que adversários podem acabar com o Bolsa Família, em especial Marina Silva (PSB), mas esse discurso geralmente não aparece na boca de Dilma. Marina chegou a responder com uma peça em que apareceu com lágrimas nos olhos contando um episódio de sua infância, no qual passou fome, argumentando que jamais acabaria com o programa.

Ao longo do discurso de hoje, a presidente Dilma defendeu que seu governo se orienta por dois princípios: igualdade de oportunidades, através dos programas sociais e de políticas públicas, e "combate sem tréguas" à corrupção. "Não somos daquele governo que gostava de varrer tudo pra debaixo do tapete", disse Dilma. Ela repetiu as frases que vêm sendo usadas em sua propaganda eleitoral: "Doa a quem doer, atinja a quem atingir, nós puniremos os culpados."

Ao lado do candidato a governador de São Paulo pelo PT, Alexandre Padilha, e do prefeito da capital pelo mesmo partido, Fernando Haddad, Dilma também reforçou a importância da parceria entre os três níveis de governo. "Eu já combinei com o Haddad que vamos fazer muitas casas aqui para o Minha Casa, Minha Vida. Combinei com o Padilha que vamos investir como nunca pra garantir que tenha transporte público de qualidade em São Paulo e não esse metrô que vai a passo de tartaruga."

Dilma tenta, assim, impulsionar o candidato petista ao governo de São Paulo, que aparece em terceiro lugar nas pesquisas de intenção de voto, atrás do candidato à reeleição Geraldo Alckmin e do candidato do PMDB Paulo Skaf. No palanque, Dilma afirmou que nunca o governo investiu tanto em São Paulo e que o Rodoanel, anel rodoviário que contorna São Paulo e uma das principais vitrines eleitorais de Alckmin, foi construído com dinheiro do governo Federal.

Também participaram do evento ao lado da presidente, a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy, o senador Eduardo Suplicy e o prefeito de São Bernardo do Campo, também coordenador da campanha da petista, Luiz Marinho.

No discurso, Dilma falou sobre educação infantil e acesso a creches. Repetiu as promessas de universalizar o acesso a crianças de 4 a 5 anos e ampliar o serviço de creches para crianças de até 3 anos de idade. A presidente mencionou muito rapidamente a questão do erro do IBGE ao divulgar dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), dentro de seu discurso sobre educação. "Mesmo com tudo isso que aconteceu quando mudaram as ponderações da Pnad, mesmo com a correção, a taxa de escolarização das crianças de 4 a 5 anos atingiu 81,4% em 2013. É bom lembrar que ela saiu de 74,4%", disse a presidente.

Lei trabalhista

Dilma respondeu a apenas uma pergunta na coletiva concedida à imprensa, sobre legislação trabalhista, quando também alfinetou adversários. "Direitos trabalhistas são conquistas históricas deste País, conquistas que o povo brasileiro não vai deixar ser ameaçado", afirmou. "Não pode ter essa história de que para agradar a A, B ou C se dizer que vai flexibilizar a CLT", completou Dilma, que reforçou ser necessário manter conquistas dos trabalhadores como férias, 13º salário e fundo de garantia.

O programa de governo da adversária de Dilma, Marina Silva (PSB), fala de as relações de trabalho serem reavaliadas e menciona a terceirização como uma ferramenta para gerar produtividade. A pessebista já afirmou diversas vezes, contudo, que não pretende flexibilizar a CLT nem fazer qualquer alteração que implique em perdas de direitos dos trabalhadores. Ontem o candidato do PSDB, Aécio Neves, também voltou ao tema trabalhista e propôs acabar com o fator previdenciário.
Leia mais

sábado, 20 de setembro de 2014

PORQUE A DIREITA BRASILEIRA TEM TANTO MEDO DOS ILLUMINATIS ?

JUSCELINO KUBITSCHEK FOI O NOTÁVEL REPRESENTANTE DO ILUMINISMO NO BRASIL, CONSTRUINDO UMA NAÇÃO EM CINCO ANOS, NO ATRASO DE 500


 


Os jovens brasileiros precisam entender o que realmente é o nazismo e o que está por detrás verdadeiramente das teorias Illuminatis que busca a redenção da humanidade.

Juscelino Kubitschek, talvez tenha sido um dos maiores representantes dos illuminatis no Brasil, perseguido gratuitamente pelos militares brasileiros, no golpe de 1964; Juscelino ainda recém formado em médico vai ao Egito e conhece a história das pirâmides; eleito, resolve transferir a capital do Brasil para Brasília, cuja construção levou ao rompimento com o FMI e fez a economia do Brasil crescer em cinco anos à razão de 7% ao ano.
Causou, inveja e indignação aos poderosos de plantão, incomodou com programas sociais de melhoria da classe pobre e pagou um dos melhores salários mínimos do Brasil , nos idos de 1958/1959.

Tudo que possa elevar a classe trabalhadora e melhorar a situação social dos miseráveis sem demagogia assusta a direita brasileira, que insiste em afrontar a democracia e facilitar as conturbações sociais criadas justamente para dificultar a evolução de programas de melhorias e consagração de políticas afirmativas para o povo brasileiro.

A Direita brasileira não é a mesma direita dos Estados Unidos, por exemplo, a direita nacional é mais doentia, mais aflita e consequentemente muito nazista,  o que evidentemente não é o caso da direita americana que não suporta o nazismo e a volta do neonazismo.

Não é  à toa que conspiram a todo instante contra a Presidente Dilma Rousseff ; que está para o Brasil, do mesmo jeito que Juscelino estava para Brasília na época da evolução industrial, naval e econômica brasileira.

A farsa que sempre será construída pela direita é no  sentido de destruir não a esquerda, porque Juscelino não era comunista, mas qualquer  atuação política que possa melhorar efetivamente a qualidade de vida dos mais pobres e cuja revolução social seja feita para o crescimento da nação sem a participação do quadro retrógrado  que militares e direitistas alimentam com a tese "tanto quanto pior melhor".

Os poucos Estadistas que sobram no Brasil, querem, independente de partido político um Brasil justo, poderoso, potente e desenvolvido. Não haverá desenvolvimento sem qualidade de vida para todo o seu povo. Isso o nazismo não deseja e  consequentemente a direita.

Sem sombra de dúvidas Juscelino foi um notável representante dos illuminatis no Brasil, buscando a evolução do Brasil e foi combatido veementemente pela direita temerária e retrógrada que insiste em se alastrar pelo Brasil.
Leia mais

ANILTON BASTOS, PREFEITO DE PAULO AFONSO: PROCESSO NA JUSTIÇA FEDERAL ESTÁ PRONTO PARA SER JULGADO

JÁ SE ENCONTRA NA CORTE ESPECIAL E SEÇÕES O PROCESSO CRIMINAL CONTRA O PREFEITO DE PAULO  AFONSO ANILTON BASTOS PEREIRA, QUE RESPONDE A CRIME DE RESPONSABILIDADE.



Tentativas vãs de procrastinar o processo, não emperraram o andamento do mesmo na Justiça Federal; o bom moço, que apoia o Deputado Federal do DEM, Luiz de Deus  e ao mesmo tempo apoia os candidatos do governador Jaques Wagner; finge-se de morto e possivelmente não acredita em condenação alguma. Há de fato uma certa coincidência no andamento do processo, haja vista  que o mesmo ficou paralisado por algum tempo; contudo não deixou de andar.

A certeza que nunca nada dá em nada, da impunidade é justamente o  possível arquivamento do processo por crime eleitoral que tramitava na comarca de Paulo Afonso, onde as acusações demonstravam algumas provas com vídeos dando conta de que agentes teria usado o poder econômico para comprar votos e assegurar a eleição do atual prefeito, segundo se afirma, o dito processo morreu. Faleceu !

Quanto ao que anda em Brasília, por crime de responsabilidade acredita-se que  o desfecho será diferente, tanto pela atuação do promotor, quanto da disposição séria do próprio magistrado que preside o feito. O que o povo de Paulo Afonso tem que fazer é ficar esperto e acompanhar as eleições para se saber se de fato o prefeito está acendendo uma vela a deus e outra ao diabo; não se precisando saber quem seria "deus" e quem   seria o "diabo" nesse caso específico.

veja o link do andamento do processo clicando   aqui 


Leia mais

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

PAULO AFONSO NA BAHIA: MARCADO O JULGAMENTO DO PREFEITO ANILTON BASTOS POR CRIME DE IMPROBIDADE

SE O PREFEITO DE PAULO AFONSO SERÁ ABSOLVIDO, SÓ DEUS SABE. O FATO É QUE O JULGAMENTO ESTÁ MARCADO PARA O DIA  23 DE SETEMBRO NO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA BAHIA
CRIME: IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA





Ar  de puro cinismo, certo da 'certeza' da impunidade ,porque se sente protegido quer seja com recursos judiciais , quer seja com mobilidade política; acendendo uma vela a Deus e outra ao diabo; o prefeito de Paulo Afonso, no Norte da Bahia, será julgado por crime de improbidade administrativa no dia 23/09, data que seu processo foi incluído em pauta para julgamento pelo Tribunal de Justiça da Bahia.


Acusado em dois processos na Bahia por crime de improbidade e um outro em Brasília por crime de responsabilidade , o prefeito ficou conhecido nacionalmente por ser o único do país a receber salário superior ao da presidente da República, Dilma Rousseff . Sendo ainda investigado pela Polícia Federal (com inquérito que corre em Juazeiro); o mesmo está tranquilo e certo da impunidade, pois como é ligado ao maior grupo político da região o deputado Luiz de Deus e detém  mídia publicitária de uma rádio local, que praticamente vive fazendo apologia ao prefeito e ao grupo dos Deuses e descendo a madeira no PT; escondendo-se no manto da proteção petista do deputado Josias Gomes e Paulo Rangel; que no afã de lograrem êxito em suas campanhas acreditam que o prefeito estaria fechado com o PT, numa clara alusão de ilusão do governador Jaques Wagner; que não é menino e não nasceu ontem... aquele por sua vez , vai levando com a barriga ,mas sem se meter nas decisões do judiciário com relação aos problemas do prefeito Anilton Bastos.

Anilton ou finge que não tem problema, ou está  completamente fora de órbita, sem noção da gravidade de sua situação, pois todos já viram que ele não pode e não tem como oferecer apoio a Paulo Rangel, afirmar que apoia Wagner quando seus parentes, amigos pessoais e integrantes do grupo dos Deuses; são ferrenhos opositores a esse mesmo governador que diz o prefeito, estaria apoiando.

Se condenado, o inferno astral do prefeito somente estará começando, pois todos sabem como tem sido a gestão do mesmo na cidade de Paulo Afonso, que diga-se de passagem padece de segurança, educação, infra estrutura e até bem pouco tempo tinha um Secretário de saúde acusado de homicídio.

Anilton é daqueles que fingem ser para ver como seria se realmente fosse...o que não sabe é que tais fingimentos são detectáveis à olho nu, quiçá despido.


informações sobre o processo no link:

Leia mais

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

JOÃO LEÃO SAI EM DEFESA DE MARIO NEGROMONTE


EM ATO DE VERDADEIRA NOBREZA O CANDIDATO A VICE GOVERNADOR NA CHAPA DO  PT, DEFENDE MARIONEGROMNTE CONTRA JOSÉ CARLOS ALELUIA
 
Negromonte se cala. João Leão esbraveja contra Aleluia
 
Por: Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews) - 11 de Setembro de 2014 - 09h53
Mario Negromonte não quis falar sobre a representação que o presidente do DEM na Bahia, José Carlos Aleluia, fez ontem contra ele no TCM por conta do suposto envolvimento no escândalo da Petrobras. Limitou-se a dizer que foi deputado federal por seis mandatos, é ficha-limpa e, no caso da Petrobras, nada há contra ele. E concluiu. “Aleluia é meu inimigo pessoal”.

Segundo a coluna Tempo Presente, o deputado federal João Leão (PP), vice de Rui Costa e amigo de Negromonte, tomou as dores e partiu para ataque contra Aleluia. "Quem tem rabo de palha não toca fogo no rabo dos outros. Aleluia deveria ficar calado. Ele já esqueceu da CPI dos Anões do Orçamento? Quem quiser saber dessa história leia o livro de Fernando Rodrigues ‘A farsa da CPI do Orçamento’. Se Aleluia é tudo isso que diz, deveria se propor a abrir os sigilos bancários dele da época da CPI, e Negromonte abriria os dele agora. Aí veríamos quem é quem".


http://www.bocaonews.com.br/noticias/principal/politica/95465,negromonte-se-cala-joao-leao-esbraveja-contra-aleluia.html
Leia mais

JAQUES WAGNER GARANTE: HOSPITAL ESPANHOL NÃO VAI VIRAR HOTEL DE LUXO

BARRADA PELO GOVERNADOR JAQUES WAGNER A ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA QUE PRETENDIA FAZER DO HOSPITAL UM HOTEL DE LUXO




Assinado o decreto pelo Governador Jaques Wagner, que transforma o hospital espanhol em bem de utilidade pública, inviabilizando a especulação imobiliária que pretendiam usurpar o hospital para transformar em hotel de luxo, numa "barra" com orla recuperada e com vista privilegiada. O próximo passo agora é assegurar os recursos para renegociar as dívidas do Hospital ou a possível federalização do mesmo em parceria com  o governo do Estado da Bahia.
O Governador deu um golpe fatal, numa corja empresarial que tem tomado conta da cidade de Salvador, privatizando estacionamentos em shoppings , derrubando espaços de mata atlântica e passando por cima de tudo e de todos para construir o que atrai os olhos dos classes médias que compram a preço de olho e muitas vezes não têm se quer como pagar o condomínio.
Esse pessoal em sua maioria não pode morrer de amores pelo governador Jaques Wagner; esses são os donos de estacionamento, empresas de eventos ,construtoras e etc; que nunca aparecem e sempre tem  "testas de ferro" para garantirem seus interesses mesquinhos e escusos.

Parabéns ao governador Jaques Wagner pela rapidez com que agiu para garantir a existência do hospital, agora vamos esperar pela federalização do hospital , em parceria com o governo do Estado e até a iniciativa privada.

@jaqueswagner
Leia mais

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

PAULO AFONSO NA BAHIA É O PARAÍSO DOS CORRUPTOS

UMA CIDADE QUE FICA NO FIM DO MUNDO, ONDE A LEI E A ORDEM NÃO IMPERAM, ONDE O PREFEITO É PROCESSADO POR IMPROBIDADE, EMPRESÁRIOS SONEGAM IMPOSTOS, MATADOR DE DEPUTADA TRABALHAVA EM HOSPITAL PÚBLICO
ESPOSA DE JUIZ TINHA DOIS EMPREGOS PÚBLICOS COMISSIONADOS
A CÂMARA DE VEREADORES TEM 90% DOS CARGOS COMISSIONADOS, SEM CONCURSO PÚBLICO.
ESSA É PAULO AFONSO, ONDE ATÉ CARLINHOS BROWN CRITICOU A SEGREGAÇÃO
UM LUGAR EXCELENTE PARA VOCÊ FICAR RICO, SE SOUBER FAZER O "JOGO" .
BROGODÓ CITY PERDE DE LONGE !



REVISTA ÉPOCA: Ex-diretor da Petrobras preso pela operação lava jato, afirma que Mário Negromonte, irmão e Deputado Mário Jr receberam dinheiro de empreiteira investigada pela PF.


Esta semana, o escândalo com os nomes de políticos envolvidos na Operação Lava Jato e citados pelo delator Paulo Roberto Costa, o ex-executivo mais poderoso da Petrobras, trouxe à tona nomes de políticos baianos como Mário Negromonte, o filho dele e até o irmão do conselheiro do TCM.

A revista ÉPOCA obteve cópia, com exclusividade, dos principais documentos desse lote das investigações que foram apreendidos nos endereços de Paulo Roberto no Rio de Janeiro, onde ele mora. Esses documentos – e outros que faziam parte da denúncia que levou Paulo Roberto à cadeia e ainda não tinham vindo a público – parecem confirmar os piores temores de Brasília.

Paulo Roberto e o doleiro Alberto Youssef, também preso pela PF e parceiro dele, acusado de toda sorte de crime financeiro na Operação Lava Jato, eram meticulosos. Guardavam registros pormenorizados de suas operações financeiras, sem sequer recorrer a códigos.

Eles anotavam os nomes de lobistas e empresários, quase sempre os associavam a negócios e a valores em dólares, euros e reais. Os registros continham até explicações técnicas e financeiras das operações.

Os valores milionários mencionados nos documentos, suspeita a PF – uma suspeita confirmada por três envolvidos ouvidos por ÉPOCA –, referem-se a propinas pagas pelas empresas, nacionais e estrangeiras, que detinham contratos com a área da Petrobras comandada por Paulo Roberto.

Os papéis já analisados pela PF (há muitos outros que ainda serão periciados) sugerem que as maiores empreiteiras do país e as principais vendedoras de combustível do planeta pagavam comissão para fazer negócio com a Petrobras.

Para compreender o esquema, cuja vastidão apenas começa a ser desvendada pela PF, é necessário entender a função desempenhada por cada um dos principais integrantes dele. Como diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto fechava, entre outros, contratos de construção e reforma de refinarias (do interesse das empreiteiras brasileiras) e de importação de combustível (do interesse das multinacionais que vendem derivados de petróleo). Paulo Roberto assinava os contratos, mas devia, em muitos momentos, fidelidade aos três partidos que o bancavam no cargo (PT, PP e PMDB).

Segundo reportagem da revista Época, o deputado federal Mário Negromonte e o seu filho, o deputado estadual Mário Negromonte Jr., ambos do PP, receberam dinheiro da empreiteira Jaraguá, investigada na “Operação Lava Jato”.

 Além de pagamentos da Camargo Corrêa e da Sanko, aparecem nas planilhas transferências milionárias de OAS, Galvão Engenharia e Jaraguá. No total, a polícia identificou cerca de R$ 31 milhões em “pagamento com suspeita de ilicitude”.

Segundo ainda a publicação, a Jaraguá, por exemplo, foi a maior doadora dos deputados do PP em 2010. A empresa investiu 1.825 milhão em campanhas de dez deputados: um do PDT, um do PSDB e oito do PP, entre os quais, Mário Negromonte (recebeu R$ 500 mil), o filho Mario Negromonte Júnior (R$ 85 mil) e Roberto Britto (R$ 50 mil).

As contas dos três candidatos baianos foram aprovadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além disso, a matéria da Época afirma que um dos irmãos de Negromonte, Adarico Negromonte, trabalhava no escritório de Youssef em São Paulo. Depoimentos confirmam o que a publicação define como “bico” do irmão do ex-ministro.

Como acontece em investigações desse tipo, o essencial é seguir o caminho do dinheiro. Nesse caso, seguir o dinheiro recebido e pago por Youssef. No Congresso, Youssef é tido como “banquinho” de vários políticos. Na semana passada, o jornal Folha de S.Paulo revelou que André Vargas pegou carona num jatinho fretado por Youssef.

O deputado se enrolou todo para explicar a relação com ele. Não é o único deputado que goza da amizade de Youssef. Segundo o depoimento de Leonardo Meireles, que trabalhava com Youssef e fez um acordo de delação premiada com a PF, Adarico Negromonte, irmão do ex-ministro e deputado do PP Mário Negromonte, trabalhava no escritório de Youssef em São Paulo. Outros depoimentos confirmam o bico do irmão do ministro.

Descobriu-se, também na semana passada, que os tentáculos de PP e de seus sócios se estendem para além da área do petróleo. Em parceria com o governo federal, por meio da elétrica Furnas, empresas ligadas a PP arremataram um leilão para administrar a Usina de Três Irmãos, em São Paulo.

A revelação dos sócios do fundo que se juntou a Furnas só ocorreu dias depois da concorrência. No dia do leilão, ninguém sabia quem estava por trás das empresas. O TCU suspendeu a assinatura do contrato atendendo a um pedido do governo paulista.

Um dos sócios de PP na empreitada chama-se João Mauro Boschiero, colega de PP no governo Collor e número dois nas impresas de PP.

As informações são da Epoca e Bocão News. 
Leia mais

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

O RETORNO DA NAZISMO AO BRASIL

O BRASIL PIPOCA EM DENUNCIAS DE CORRUPÇÃO E FRAUDES.
ÂNIMOS ACIRRADOS DÁ ESPAÇO E MARGEM PARA QUE UMA DIREITA NAZISTA SE APROVEITE DA SITUAÇÃO E FAÇA FLORESCER UM CLIMA DE PÂNICO NA DEMOCRACIA BRASILEIRA




As vezes me pergunto se justamente Dilma Roussef não foi colocada na arena, atiçada ao leões, justamente para capar de vez com a possibilidade de um governo voltado para programas sociais. Me pergunto se  essa gente toda reunida, do PT, PMDB, PSB ,PP entre outros não compactuou para tentar derrotar a atuação séria de uma pessoa comprometida com ideologia e valores e não com interesses eleitoreiros. Cercada de cobras e jararacas dentro do próprio Planalto, tem que se certificar a todo instante quem são seus verdadeiros aliados e não oportunistas de última hora.
O Congresso Nacional , está mais do que provado, não tem estadistas; todos visam lucros, interesses de alguma categoria e por aí se vai. O último índio eleito (Juruna) já fazem décadas e não se tratou de eleger mais índios e quilombolas ...

A democracia aturdida por denuncias, que sabemos todos, não alcança a Presidenta Dilma, pois indissolúvel é o fato de que a mesma não comunga com a corrupção. 


Nesse clima, o que vemos, é o ressurgimento de uma extrema direita reacionária e novos nazista que sempre estiveram lá, nunca sumiram; portanto, de novo não se tem nada, nem a metodologia oportunista de tocar fogo, matar e atacar ferozmente. Defenestrar de vez um governo socialista, que só assumiu porque não era efetivamente socialista no começo, e sim "trabalhista"; com apoio de poderosa emissora de televisão sonegadora; é esse  o real interesse de países que se preocupam em tomar conta da Amazônia, do Nióbio , do petróleo e da nossa água; além de esmeraldas e diamantes em grandes jazidas.

Sob a bandeira da "nova forma de fazer política" o que se verifica na verdade é a continuidade da corrupção; que certa vez foi a verdadeira luta do PT.

O PT autêntico precisa tomar vergonha na cara, cortar na própria carne e expurgar todos os fascistas que nele se infiltraram com o passar do tempo. Realinhar-se com compromissos sociais, econômicos e morais; sair do limbo imundo que está se metendo; quer seja por terceiros que convenceram a mudança de metodologia do partido quer seja pela vaidade do devaneio pelo poder.

Querem, mais uma vez o Brasil de quatro, pedindo esmolas e com o povo analfabeto votando por um pedaço de rapadura, tubos, telhas e blocos de cimento. permitem-se que a violência campeie desenfreadamente e com isso afastando-se dos seus compromissos com o desenvolvimento da Nação.

Dessa lama, desse buraco; precisa ressurgir um novo PT, completamente revigorado, comprometido com a ética, a moral e o combate a corrupção. Para governar tem-se a mídia que desmoraliza o oportunista que vota contra os interesses da nação e mostra o fiel retrato do político canalha que barganha empregos e cobram propinas para sustentar a tal da "governabilidade" . Comprar o Congresso não é a solução; desmoralizar os canalhas que desmoralizam a instituição legislativa sim; é a solução. Ainda que todo homem possa ter seu preço, que a ideologia seja sempre em favor do povo, pelo povo e para o povo; relacionando-se com países de primeiro mundo democráticos de direita e de esquerda.

Agora, deixar o nazismo voltar e convulsionar toda uma nação, é no mínimo uma aberração.
Leia mais

ATÉ A REDE GLOBO ESTÁ COM A BUNDA SUJA? O DELATOR QUE FALOU !

DEVENDO MILHÕES EM SONEGAÇÃO DE IMPOSTOS, E A TODO CUSTO QUERENDO ALAVANCAR A CAMPANHA DE OPOSITORES À DILMA, A REDE GLOBO FOI CITADA NO ANO PASSADO COMO EMPRESA LIGADA AOS CONTRATOS DA PETROBRÁS.
ISSO VAI VIRAR NOVELA?




Em junho passado, quando foi chamado para depor na CPI do Senado, o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, fez uma grave denúncia.
Por Altamiro Borges - Carta Maior:
O sempre antenado Rodrigo Vianna, do blog Escrevinhador, aproveitou a onda midiática em torno da “delação” de Paulo Roberto Costa para cavar uma bombástica notícia. Em junho passado, quando foi chamado para depor na CPI do Senado, o ex-diretor da Petrobras fez uma grave denúncia: “Para conhecimento de vocês, eu tenho um contrato assinado para vender uma ilha das Organizações Globo”. A mídia venal, que age como a máfia na proteção dos seus bandidos, sequer mencionou o fato. O “delator” não virou capa da Veja naquela ocasião. Willian Bonner, Patrícia Poeta, Willian Waack e outros apresentadores dos telejornais globais também não mencionaram o fato.
Um dos poucos sites que divulgou a denúncia foi o da liderança do PT na Câmara Federal. Vale conferir a matéria:
*****
Ex-diretor refuta ilações sobre Petrobras e revela contrato com Organizações Globo
10 Junho de 2014 – Site da Liderança do PT na Câmara Federal
O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto da Costa, refutou, na CPI do Senado que investiga supostas irregularidades na compra da refinaria de Pasadena, no Texas, ilações que tentam comprometer a Petrobras. Ele revelou também que sua empresa mantém negócios com as Organizações Globo. Paulo Roberto lembrou que passou mais de 50 dias preso e massacrado por setores da mídia, como a Globo, com quem mantém contrato.
A revelação foi um dos pontos marcantes da CPI, nesta terça-feira (10). Em seu relato, o ex-diretor confirmou que é o dono da empresa de consultoria Costa Global e que entre os seus contratados estão as Organizações Globo. “Para conhecimento de vocês, eu tenho um contrato assinado para vender uma ilha das Organizações Globo”, revelou.
De acordo com o ex-diretor, a ilha situa-se na rodovia Niterói-Manilha. Ele frisou que o contrato firmado com as organizações da família Marinho era para que a Costa Global procurasse um leasing imobiliário para vender a área. Segundo ele, o objetivo do negócio era dar apoio para a operação offshore que atuaria para empresas que trabalhavam com a Petrobras, com a Shell, e com outras empresas que têm atividades de produção na Bacia de Campos. “Até para as Organizações Globo estamos prestando serviço”, reafirmou Paulo Roberto.
O ex-dirigente disse ainda que constituiu a Costa Global em 2012, após sua saída da estatal. Ele contou que a sua filha, Arianna Azevedo Costa Bachmann, é sua sócia e que a empresa possui 81 contratos firmados.
No decorrer de sua exposição, Paulo Roberto da Costa repudiou com veemência as “inveracidades” das acusações do Ministério Público contra a Petrobras e criticou o foco dado pela imprensa brasileira à questão.
“A Petrobras é uma empresa totalmente séria. Pode-se fazer auditoria por 50 anos dentro da Petrobras que não vão achar nada ilegal porque não há nada ilegal na Petrobras. Estão colocando a Petrobras na condição de uma empresa frágil”, afirmou. Ele observou que os controles dentro da estatal são enormes.
Abreu e Lima - Ele refutou as denúncias de suposto superfaturamento nos contratos da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. “Não é real. É uma ilação. Portanto, repudio veementemente essa suposição. Não existe organização criminosa. Não sei por que inventaram essa história. É uma história fora da realidade”, lamentou.
Operação Lava Jato – Paulo Roberto da Costa foi preso em março na Operação Lava Jato, desencadeada pela Polícia Federal. A Operação da PF investigou esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Em seu depoimento ele foi enfático em afirmar que não existe lavagem de dinheiro da Petrobras com o doleiro Alberto Youssef, também preso pela PF.
“Não sei de onde tiraram essa história. A Polícia Federal, o MP deveriam aprofundar essa análise da Petrobras, que vão chegar à conclusão de que a Petrobras não é o que estão falando. A Petrobras é uma empresa que orgulha o povo brasileiro”, afirmou.
Pasadena – Sobre a aquisição da refinaria de Pasadena, Paulo Roberto voltou a dizer o que os seus antecessores afirmaram em depoimentos na CPI. “Naquele momento era um bom negócio. Ninguém coloca petróleo cru na indústria, no carro ou no avião. Ter refinaria é algo importante e estratégico”, reafirmou.
*****
É certo que não dá para confiar nas denúncias de Paulo Roberto Costa – assim como a revista Veja e o restante da mídia não deveriam apostar todas suas fichas na sua “delação premiada” com nítidos objetivos eleitorais. Mas no caso das Organizações Globo – agora ela mudou de nome para Grupo Globo, não se sabe por qual razão –, a sua acusação mereceria ser apurada. Infelizmente, a maioria dos deputados e senadores tem um misto de sedução e medo diante da poderosa emissora. Até hoje, nenhuma suspeita sobre a Rede Globo foi investigada. Já no seu nascedouro, o contrato ilegal com a estadunidense Time-Life foi arquivado. Mais recentemente, as denúncias sobre sonegação fiscal também caíram no esquecimento.
Apesar deste triste retrospecto, não custa sugerir ao suspeitíssimo Ministério Público que investigue o contrato de venda de uma ilha do Grupo Globo. Segundo relata Fernando Rodrigues na Folha deste domingo (7), “os próximos passos da Operação Lava Jato devem ser investigar empreiteiras, diretores dessas empresas e contas no exterior usadas para o pagamento de propinas a partir de negócios da Petrobras... No depoimento de Paulo Roberto Costa, há elementos que indicam de maneira detalhada como eram abertas contas bancárias no exterior. Ele detalhou quais são as empreiteiras, quem eram os diretores e presidentes dessas empresas, onde são as contas bancárias e quem eram os beneficiários de desvios”.
Até hoje, nenhum corruptor foi preso no país. Será que o Grupo Globo, da bilionária família Marinho, será investigado algum dia. A conferir!
Leia mais

sábado, 6 de setembro de 2014

EXCLUSIVO: PRESIDENTE DILMA ROUSSEF DETERMINARÁ AFASTAMENTO DOS CORRUPTOS E APROFUNDAMENTO DAS INVESTIGAÇÕES

COM LIBERDADE DA POLÍCIA FEDERAL, A PRESIDENTE DILMA DETERMINARÁ A APURAÇÃO DAS DENUNCIAS E PRISÃO DOS ENVOLVIDOS




Em ligação telefônica, agora á noite, com um assessor de segundo escalão, ficou confirmado que a Presidente está preocupada com a situação ante a gravidade do fato das denuncias da revista Veja e, determinará que as apurações sejam a mais aprofundada possível, um tanto irritada, segundo a fonte, a mesma demonstra firmeza e está obstinada a concluir seu governo e reeleger-se com um quadro de auxiliares e parlamentares literalmente 'limpos".  A fonte, que já está no Planalto a muitos anos, assegura que a Presidente, anda mais irritada do que preocupada, pois ,segundo o mesmo, é notório para todo o povo brasileiro que a postura da presidente sempre foi de determinar a apuração e acreditar nas prisões do envolvidos. Tanto é que do público nada se esconde e a própria Polícia Federal tem carta branca para investigar todo e qualquer sujeito que esteja envolvido em corrupção no governo da Presidente. Perguntado, se a Presidente titubeia sobre a reeleição, o mesmo respondeu categoricamente; "- DUVIDO!"

Não é agora que a Presidente tem governado boicotada por todos lados, com rapinas querendo sua cabeça porque a mesma não comunga do mar de lama que estão envolvidos os parlamentares acusados pelo diretor da Petrobrás. Querem a todo custo que o nome da mesma figure como responsável sobre a onda generalizada de corrupção no Brasil; coisa que o brasileiro não suporta mais contribuir para ver seus recursos indo para o bolso de políticos inescrupulosos e empresários facínoras.
Quem garante a reeleição de Dilma? Com certeza o povo...


Leia mais

MAR DE LAMA: DELATOR ENTREGA MARIO NEGROMONTE



TEM SIDO DIFÍCIL PARA DILMA ROUSSEFF CONVIVER COM DEZENAS DE POLÍTICOS ACUSADOS DE CORRUPÇÃO EM SEU GOVERNO, A MESMA AFIRMOU:
"VOCÊS ESTÃO INVIABILIZANDO O MEU GOVERNO"




Ex-diretor envolve base de Dilma e Eduardo Campos

Nomes apontados como beneficiários de corrupção na Petrobras por Paulo Roberto Costa vão de parlamentares, como Renan e Henrique Alves, a Roseana Sarney, Sérgio Cabral e Eduardo Campos, diz a revista Veja. Confira a relação dos citados por ele em depoimento, segundo a semanal


Roberto Stuckert Filho/PR
Como o macacão autografado por Dilma, Paulo Roberto deixa sua assinatura nas costas dela
A edição da revista Veja que começou a circular neste sábado traz a relação de políticos (confira abaixo) que, segundo a semanal, foram apontados pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa como beneficiários de um esquema de corrupção na estatal operado por ele em sua passagem pela diretoria de Abastecimento, entre 2004 e 2012. Os nomes remetem a aliados das duas candidatas que lideram as pesquisas eleitorais para a Presidência da República, Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB).
A relação dos citados pelo ex-executivo vai dos atuais presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) – dois dos principais aliados de Dilma no Congresso – até o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB), morto em um desastre aéreo no último dia 13 e de quem Marina era candidata a vice-presidente. A participação de cada um dos mencionados ainda será objeto de investigação.
Nos depoimentos que prestou até agora à Justiça, por meio da chamada delação premiada – acordo que prevê a redução da pena do acusado em caso de colaboração efetiva com as investigações –, Paulo Roberto apontou o envolvimento dos seguintes políticos no desvio de dinheiro público da estatal:
Edison Lobão (PMDB) – ministro das Minas e Energia
João Vaccari Neto (PT) – secretário nacional de finanças do partido
Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), presidente da Câmara
Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado
Ciro Nogueira (PP-PI), senador e presidente nacional do partido
Romero Jucá (PMDB-RR), senador e ex-líder dos governos FHC, Lula e Dilma
Cândido Vaccarezza (PT-SP), deputado federal
João Pizzolatti (PP-SC), deputado federal
Mario Negromonte (PP), ex-ministro das Cidades, ex-deputado e atual conselheiro do TCM-BA
Sergio Cabral (PMDB), ex-governador do Rio de Janeiro
Roseana Sarney (PMDB), governadora do Maranhão
Eduardo Campos (PSB), ex-governador de Pernambuco e ex-candidato à Presidência, morto no dia 13 de agosto em um desastre aéreo.


Revista usa fundo vermelho na capa, a exemplo do que fizera em edição com depoimento de Marcos Valério sobre o mensalão em 2012
Segundo a revista Veja, Paulo Roberto entregou, ao todo, os nomes de três governadores (considerando-se aí a atual governadora Roseana Sarney e os ex-governadores Sergio Cabral e Eduardo Campos), um ministro (Edison Lobão), um ex-ministro (Mário Negromonte), seis senadores e 25 deputados, além do secretário de finanças do PT. O ex-diretor da Petrobras também confirma que houve pagamento de propina no negócio que resultou na polêmica compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. O prejuízo bilionário para a empresa brasileira com a compra da unidade norte-americana motivou a instalação da CPI da Petrobras.
O esquema partia de grandes empresas – a maior citada por ele é a Camargo Corrêa – que, para fechar contratos milionários com a Petrobras, transferiam parte do lucro a funcionários da estatal, a partidos da base do governo e a políticos. Estes, antes de receber, tinham o dinheiro lavado por doleiros.
De acordo com Paulo Roberto, relata Veja, algumas das maiores empreiteiras do país, como a Camargo Corrêa, participavam do esquema. Segundo o ex-diretor contou, elas transferiam parte do lucro a funcionários da estatal, a partidos e políticos da base aliada para fechar contratos milionários com a Petrobras. Antes de chegar ao destino final, o dinheiro era lavado por doleiro, diz a revista.
Os números dos envolvidos pelo ex-diretor no esquema operado e, agora, delatado por ele variam conforme a apuração. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, Paulo Roberto disse que 32 parlamentares, um governador e cinco partidos políticos recebiam 3% de comissão sobre o valor de cada contrato da estatal no período em que ele comandava a diretoria de Abastecimento. O único nome mencionado na reportagem do Estadão é o do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).
De acordo com a Folha de S. Paulo, 61 congressistas e pelo menos um governador receberam dinheiro desviado da empresa. A  exemplo de Veja, a Folha cita o envolvimento direto de três partidos da base de Dilma: PT, PMDB e PP.
Por envolverem parlamentares e ministro de Estado, os depoimentos serão remetidos ao Supremo Tribunal Federal (STF), responsável por andar andamento e julgar processos contra autoridades federais. Réu em duas ações penais – uma sobre ocultação e destruição de documentos e outra sobre corrupção –, o ex-diretor da Petrobras aceitou a delação premiada para escapar de uma pena que poderia chegar a 50 anos.
Um dos principais alvos da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, Paulo Roberto é acusado de ter recebido propina e de participar de um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões. Ele está preso em Curitiba, mas, pelo acordo firmado, deverá ser posto em liberdade com uma tornozeleira assim que concluir a série de depoimentos.

fonte: http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/a-lista-dos-politicos-delatados-por-ex-diretor-da-petrobras/
Leia mais

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

A PETROBRÁS NAUFRAGA NUM MAR DE LAMA E QUEREM LEVAR O BRASIL JUNTO


Delação premiada sobre propina a parlamentares, com citação de Renan Calheiros, pode ser a bala de prata da eleição

publicado em 5 de setembro de 2014 às 19:19
CPI - Petrobras - 2014 - CPIPETRO
Ex-diretor da Petrobrás delata propina a deputados, senadores e governador
ANDREZA MATAIS E RICARDO BRITO – O ESTADO DE S. PAULO
05 Setembro 2014 | 16h 51
Em depoimento à Polícia Federal, Paulo Roberto Costa menciona pagamentos de comissão sobre contratos da estatal a pelo menos 32 parlamentares, um governador e cinco partidos
BRASÍLIA – O ex-diretor da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, citou pelo menos 32 deputados e senadores, um governador e cinco partidos políticos que receberiam 3% de comissão sobre o valor de cada contrato da Petrobrás firmados durante sua gestão na diretoria de Abastecimento da estatal petrolífera.
Desde sexta feira, 29 de agosto, Paulo Roberto está depondo em regime de delação premiada para tentar obter o perdão judicial. Ele é alvo da Operação Lava Jato, da Polícia Federal, que desmantelou um grande esquema de lavagem de dinheiro e corrupção na Petrobrás. São depoimentos diários que se estenderam por toda semana. O número de políticos citados foi mencionado por Paulo Roberto nos primeiros depoimentos, mas pode crescer até o final da delação.
Paulo Roberto relatou a formação de um cartel de empreiteiras dentro da Petrobrás, em quase todas as áreas da estatal. Partidos políticos eram supostos beneficiários de recursos desviados por meio de comissões em contratos arranjados. E exemplificou: “Todo dia tinha político batendo em sua porta”.
Num depoimento, ele citou uma conta de um “operador do PMDB” em um banco europeu. Paulo Roberto contou que os desvios nos contratos da Petrobrás envolveriam desde o funcionário do terceiro escalão até a cúpula da empresa, durante sua gestão na diretoria de Abastecimento, entre 2004 e 2012.
O ex-executivo também citou quase todas as grandes empreiteiras do País que conseguiram os contratos. Inicialmente seu alvo foram as empresas, mas não havia como isentar os políticos, uma vez que, segundo ele, foram beneficiados com propinas. Por causa da citação aos políticos, que têm foro privilegiado, os depoimentos serão remetidos para a Procuradoria Geral da República. A PGR afirmou que só irá receber a documentação ao final do processo de delação.
O acordo de delação premiada assinado por Paulo Roberto prevê praticamente o perdão judicial. A pena que ele receberá será mínima comparada aos 50 anos que poderia pegar se responder aos processos — já é réu em duas ações, uma sobre corrupção na Petrobrás e outra sobre ocultação e destruição de documentos.
O acordo prevê que o ex-executivo será colocado em liberdade quando encerrar os depoimentos. Ele deve ficar um ano usando tornozeleira eletrônica, em casa, no Rio, sem poder sair na rua.
Os depoimentos têm sido longos. No primeiro dia foram mais de quatro horas. Um advogado do Paraná que esteve com ele diz que Paulo Roberto está “exausto, mas se diz aliviado”.
O ex-executivo teria demonstrado preocupação apenas quando soube que a imprensa noticiou a delação premiada. Seu temor é se tornar um “arquivo vivo”.
Os depoimentos são todos filmados e tomados em uma sala na Custódia da PF em Curitiba. Ao final de cada dia os depoimentos são lacrados e criptografados pelo Ministério Público Federal, que os envia diretamente para a PGR, em Brasília. A PGR mandou emissário a Curitiba no início do processo de delação.
O doleiro Alberto Youssef, também preso acusado de ser um dos cabeças do esquema desbaratado pela Lava Jato, também tentou negociar com o Ministério Público Federal uma nova delação premiada (ele fez a primeira no caso do Banestado, em 2003), mas desistiu ao ser informado que pegaria pelo menos 3 anos de prisão, em regime fechado.
*******
O Estado de S. Paulo
por Andreza Matais, Ricardo Brito e Fabio Brandt
O nome do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi mencionado pelo ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, em depoimentos prestados à Justiça na tentativa de conseguir o perdão judicial por meio da delação premiada. A empresa UTC Engenharia também foi citada pelo ex-executivo como integrante do esquema que desviou recursos de contratos bilionários da Petrobras. As empresas ganhariam os contratos em troca de pagar propina de 3% para deputados e senadores, conforme antecipado pelo Broadcast e portal do Estado nesta tarde.
O Broadcast apurou que um dos negócios mencionados envolvendo Renan é um acerto com o doleiro Alberto Youssef para que o Postalis comprasse R$ 50 milhões emitidos da Marsans Viagens e Turismo, que tinha Youssef como um dos investidores. O doleiro teria se reunido com Renan, em Brasília, no início de março, para acertar a comissão do PMDB nesse negócio. O fundo de pensão dos Correios é controlado pelo PMDB e PT.
O negócio não ocorreu porque estava em curso quando Youssef e Paulo Roberto foram presos. A empresa fechou após as prisões. A assessoria de Renan afirmou que não localizou o senador para comentar o assunto. A UTC Engenharia também não respondeu até o momento os questionamentos da reportagem.
No início das investigações, foram citados nomes de vários parlamentares e partidos supostamente envolvidos no esquema de corrupção. Entre eles, o tesoureiro do PT, João Vaccari, os deputados André Vargas (sem partido-PR), Luiz Argolo (SD-BA) e o senador Fernando Collor (PTB-AL).
O Broadcast revelou hoje que o ex-diretor da Petrobras envolveu 32 deputados e senadores e um governador de cinco partidos políticos que receberiam 3% de propina em negócios com contratos da Petrobras durante sua gestão na diretoria de abastecimento da empresa. Desde a sexta-feira (29), Paulo Roberto está prestando depoimentos diários que se estenderam por toda semana numa tentativa de conseguir o perdão judicial por meio da delação premiada.
O Broadcast apurou que Paulo Roberto relatou aos policiais a formação de um cartel de partidos políticos que atuavam para desviar recursos da Petrobras por meio de comissões em contratos arranjados. E exemplificou: “Todo dia tinha político batendo na minha porta”. Num dos depoimentos, ele citou uma conta de um “operador do PMDB” em um banco europeu.
Paulo Roberto contou que os desvios nos contratos da Petrobras envolveriam desde o funcionário do terceiro escalão até a cúpula da empresa, durante sua gestão na diretoria de Abastecimento.
O ex-executivo também citou nomes de empreiteiras que conseguiram os contratos. Inicialmente seu alvo foram as empresas, mas não havia como isentar os políticos, uma vez que foram beneficiados com propinas. Por causa da citação aos políticos, que têm foro privilegiado, os depoimentos estão sendo enviados para a Procuradoria Geral da República.
A reportagem apurou que o acordo de delação premiada assinado por Paulo Roberto prevê praticamente o perdão judicial. A pena será mínima perto dos 50 anos que poderia pegar se respondesse aos processos. Paulo Roberto deve ficar um ano usando tornozeleira eletrônica, em casa, no Rio, sem poder sair na rua.
Os depoimentos têm sido longos. No primeiro dia, duraram mais de quatro horas. Pessoas que estiveram com ele dizem que está exausto, mas se diz aliviado. O ex-executivo teria demonstrado preocupação apenas quando soube que a imprensa noticiou a delação premiada. Seu temor é se tornar um “arquivo vivo”. São horas de relatos, acompanhados de um advogado, um delegado e um membro do Ministério Público.
Os depoimentos são todos filmados e tomados em uma sala na Custódia da PF. Ao final de cada dia, são lacrados e criptografados pelo MPF, que os envia diretamente para a PGR que mandou emissário a Curitiba no início do processo de delação. O doleiro Alberto Youssef, preso acusado de ser um dos cabeças do esquema desbaratado pela Lava Jato, também tentou negociar com o MP uma nova delação premiada (ele fez a primeira no caso do Banestado), mas o advogado o demoveu da ideia porque pegaria pelo menos 3 anos de prisão, em regime fechado.
PS do Viomundo: Até o primeiro turno da eleição teremos ainda mais quatro capas de Veja, devidamente repercutidas pelo Jornal Nacional. Para meus jovens leitores, funciona assim: a Veja publica uma denúncia. Pode ser completamente furada. Pode provar-se uma farsa, mas lá na frente, depois das eleições. O Jornal Nacional, sem checar o conteúdo daquela denúncia, repete feito papagaio o que escreveu a Veja. Isso causa justa revolta e indignação dos eleitores. Reforça o clima de mar de lama que já cerca a eleição de 2014. Rodrigo Vianna chamou de “delação premiada” de boca de urna.
Não, não duvido que Paulo Roberto da Costa esteja falando a verdade, nem da existência de corrupção generalizada no Brasil. Eu disse generalizada. Existem esquemas múltiplos de financiamento de campanha. Caixa dois. Em geral, quando os doadores são privados a investigação vai parar em alguma gaveta (como foi a Operação Castelo de Areia, da Polícia Federal, que apurou a contabilidade paralela da empreiteira Camargo Correia). Li o relatório completo da Castelo de Areia. Estava todo mundo lá. Gregos, troianos e espartanos. Eu disse generalizada, certo?
Teremos, a partir de agora, vazamentos seletivos dos citados pelo ex-diretor da Petrobras. Será que pega o PSB, de Eduardo Campos? Neste caso seria mais herança maldita despejada no colo da musa da “nova política”.
O PMDB, de Renan Calheiros, já aparece no rolo, o que respinga diretamente no governo Dilma.
Uma investigação como esta é longa e a Polícia Federal terá de confrontar o dito pelo delator com provas materiais ou testemunhais contra os acusados. Leva meses. Porém, o que importa mesmo é o escândalo até que se conclua o período eleitoral.
Se o nome do PSB não aparecer Marina Silva ganha um tremendo reforço. Se apenas o PSDB estiver isento, Aécio Neves recupera a chance de passar ao segundo turno.
Se parlamentares petistas não estiverem envolvidos diretamente, o governo Dilma argumentará que foi a Polícia Federal que levou o caso adiante, “doa a quem doer”.
É assim que funciona o Brasil. Depois, passa-se a régua sobre as denúncias e, com base em alguma “tecnicalidade”, o caso é paralisado — foi assim com a Operação Satiagraha, que envolveu o banqueiro Daniel Dantas. Foi assim com o mensalão do PSDB e o do DEM. Afinal, quem é tentou ajudar José Roberto Arruda, aquele da propina filmada, a sair candidato em Brasília? Fernando Henrique Cardoso e Gilmar Mendes!
Ao fim e ao cabo, as denúncias servirão — em caso de vitória de Marina ou Aécio — para justificar a privatização ainda maior do pré-sal, já que o Estado “corrupto” é incapaz de fazê-lo e a “mão invisível do mercado” regula tudo naturalmente, como fez antes de mergulhar o mundo na maior crise econômica desde 1929, em 2008.
Por isso, só a Constituinte exclusiva é capaz de lidar com as questões de fundo que minam a representatividade no Brasil, inclusive o combate à corrupção que alimenta campanhas eleitorais com caixa um, dois e três.

Leia mais